Fazendo Negócios na América Latina

Ao fazermos negócios é fundamental conhecer o mercado em que estamos entrando, tanto nacionalmente quanto internacionalmente, sendo que na segunda situação devemos tomar mais cuidado ainda pois, além das barreiras políticas e comerciais, existe o risco de choques culturais.


Antes de considerarmos a logística, documentação e adequação da embalagem devemos passar pelas etapas de apresentações negociações e é nelas que ocorrem a maioria dos choques culturais.


Mesmo dentro da própria América Latina, na qual existem tantas semelhanças culturais, ainda há o risco de ocorrer algum equívoco ao escolher a melhor abordagem na hora de conduzir uma reunião de negócios.


Como estamos constante em contato, tanto pessoal quanto profissionalmente, com pessoas de diversas nacionalidades notamos alguns aspectos em que as culturas latino-americanas divergem entre si.


Considerando que o nosso objetivo é colaborar com quem possua a intenção de construir uma parceria comercial de longo prazo, reunimos algumas informações e aspectos que podem passar despercebidos. Recomendamos a todos que façam também as suas próprias pesquisas, focadas nas características específicas de seu público alvo, busquem parcerias com empresas que, assim como a Syntony Trade, que possuam experiência em Comércio Exterior e levem em consideração tanto a filosofia da empresa parceira quanto as características individuais do representante designado por ela.


Principais diferenças entre os países latino-americanos

  • Idioma:

A maioria dos países latino americanos fala o espanhol, com exceção do Brasil cujo idioma é o português, e mesmo entre esses países de língua espanhola, apesar de não serem tão gritantes, existem pequenas diferenças causadas por dialetos locais e a maneira de conversar de cada região.


Se não possuirmos o domínio do idioma local do país no qual pretendemos fazer negócios recomendamos a utilização de um intérprete em situações formais como uma reunião de negócios ou vistas a fabricantes e clientes.

  • Formalidade:


Cada cultura tem as suas particularidades e a formalidade é um aspecto importante a ser considerado, principalmente durante as primeiras impressões. Em excesso a pessoa corre o risco de passar a impressão de frieza e a falta dela pode passar a de pouco profissionalismo.


Devemos nos adaptar à situação, considerando o grau de intimidade que possuímos com o parceiro de negócios, as suas características individuais e a cultura de seu país.


Em muitos países de língua espanhola existe uma formalidade maior como, por exemplo, a utilização de títulos acadêmicos como Doutor, Engenheiro, Professor, antes do nome ao abordar uma pessoa, principalmente nos primeiros encontros, sendo esta uma demonstração de respeito e reconhecimento de status. Por outro lado, o brasileiro, que é naturalmente muito acolhedor e simpático, o que contribuí com a formação de vínculos e a geração de empatia, tende a ser um pouco mais informal, o que pode causar um pequeno choque cultural e em casos extremos passar uma ideia equivocada de uma atitude pouco profissional.

  • Condução de uma reunião de negócios:


Em situações como rodadas de negócios internacionais os detalhes como o ambiente, o horário, o tempo de cada reunião e etc. são coordenados por entidades como a Federação das Indústrias, o Centro Internacional de Negócios, dentre outras. Em contrapartida também há aquelas situações nas quais os parceiros de negócios estão visitando o nosso país e a coordenação dessa reunião é de nossa responsabilidade... Neste momento o conhecimento e o bom senso são nossos aliados.


O primeiro passo é a escolha do local ideal para essas reuniões e ele varia de acordo com a cultura de cada país, sendo que algumas preferem realiza-las no ambiente profissional de um escritório enquanto outras dão preferência para restaurantes ou cafés.

Em algumas culturas latino americanas as reuniões são iniciadas com uma breve conversa pessoal, na qual ambas as partes aproveitam para se conhecer um pouco mais, estabelecendo uma relação de confiança. Porém em outros países, dentro da própria américa latina, os negócios são abordados em 1º lugar, indo direto ao ponto e não havendo espaço para qualquer tipo de conversa que não esteja relacionada aos negócios tratados. Por isso tanto o bom senso quanto o conhecimento do nosso parceiro e sua cultura são tão importantes.


O que essas culturas tem em comum?


Apesar das diferenças, todas as culturas mencionadas valorizam a confiança mútua em uma parceria comercial, sendo o contato pessoal de uma visita fundamental para construir essa relação de confiança e comprometimento com o objetivo do crescimento mútuo.


Bons Negócios!

#comércioexterior #mercadointernacional #Importação #mercadoglobal #exportação

Posts Em Destaque
Posts Recentes